Festa do Divino Espírito Santo

Transcrito do Pearson

Entre todas as festas, com pelo menos alguma significação religiosa, a do Divino Espírito Santo, que nas localidades onde ainda se realiza é, em seguida as da Semana Santa e, às vezes a do Padroeiro, das principais se não a principal, tendo a revestir-se de, talvez, maior número, de elementos seculares. Geralmente realizada no sétimo domingo após a páscoa (Pentescoste). Da mesma forma que em outras partes do país os papéis tradicionais da festa incluem as do "Alferes da Bandeira" (ou porta bandeira) do "Capitão do Mastro" e do "Imperador”. Ao Alferes da Bandeira cabe providenciar para que um estandarte conhecido como "Bandeira do Divino" seja levado numa viajem antes da festa durante a qual são recolhidas contribuições para custear-lhe as despesas. Os acompanhantes da bandeira talvez façam a jornada iniciada antes do dia da festa e que a espera inclua visitas a todos os lugares habitados de áreas vizinhas, em cumprimento de uma promessa, por em sentido de obrigação ou meramente pelo prazer do ato. A bandeira é inicialmente levada aos locais mais distantes a serem visitados. Deixa-se a viagem pelas ruas da cidade ou vilarejos onde a festa será relizada para a própria véspera do acontecimento.

A "visita" de uma bandeira a determinada casa é considerada uma bênção. Espera-se que as pessoas que nela residem ou ali estejam, na ocasião, aproximem-se do estandarte, beijem-no e discretamente dêem aos membros do grupo acompanhante uma contribuição para as despesas. É considerado um privilégio especial receber a bandeira do Divino quem dê pernoite durante a jornada. Espera-se também que o dono da casa onde ela pernoite dê uma festa aos que a acompanham. O capitão do mastro dirige um grupo na construção do mastro ao qual será içada a bandeira durante a festa. No dia marcado supervisiona-lhe o transporte até as vizinhanças da igreja e a sua colocação no local. 0 imperador do divino e responsável por todos os festejos. (SIC)

Veja Também: